quinta-feira, maio 11, 2006

A Ave Maria (parte II)

Bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre, Jesus

A Saudação Angélica recebe esse nome somente de sua primeira parte, dita pelo Arcanjo Gabriel. Essa segunda parte da Ave-Maria é composta pelas palavras ditas na Visitação de Nossa Senhora a sua Prima Santa Isabel.

Tendo acontecido a Anunciação e a Encarnação do Verbo, Maria foi visitar sua Prima Santa Isabel, a qual, conforme palavra do Anjo, havia concebido - miraculosamente - na velhice. E de que forma Maria foi visitar sua prima? O evangelista nos diz (São Lucas 1, 39):
Naqueles dias, Maria se levantou e foi às pressas às montanhas, a uma cidade de Judá.


Ora, Maria foi às pressas. Às pressas para fazer a caridade para com o próximo (Santo Afonso). Devemos ter certeza, então, que Maria sempre vem rapidamente em nosso socorro. Pena que muitas vezes não aceitamos esse socorro. Ao entrar na casa de Zacarias, Nossa Senhora saudou Isabel. Apenas ouviu a voz de Maria, Isabel, cheia do Espírito Santo, disse (São Lucas 1, 42) :
Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto do teu ventre.


Nosso Senhor, obviamente, é o autor da Graça, mas Maria é o canal, aqueduto, conforme São Bernardo, por onde passam todas as graças. Fica claro, então, que Isabel ficou cheia do Espírito Santo pela intercessão de Maria Santíssima, após ouvir sua voz.

Muitos acham que a visitação foi somente uma obra de misericórdia corporal, a fim de ajudar na gravidez de Santa Isabel. Todavia, a visita foi muito mais do que isso. Foi uma torrente de graças para toda a família. A caridade de Maria Santíssima foi voltada principalmente para a santificação das almas dos membros da família. Essa obra espiritual é muito mais importantes que a material, e foi sobretudo essa obra mais excelsa que Nossa Senhora veio trazer para Santa Isabel e para seu filho, João Batista (São Lucas 1, 43-44):
Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor? Pois assim que a voz de tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança estremeceu de alegria no meu seio.


São João Batista, por intermédio da saudação de Maria Santíssima foi santificado, o que se constata pelo estremecimento de alegria no seio de Santa Isabel. Maria veio, então, santificar aquele que deveria preceder o Senhor. Mais uma vez, por Maria, Nosso Senhor derramou a sua graça. É ela, irremediavelmente, o canal de TODAS as graças. Poderia ser de outra forma, mas Deus, na sua sabedoria infinita, assim o quis. Para sua maior glória e para o nosso bem.

Nas Sagradas Escrituras, tudo tem significado. Por qual motivo Santa Isabel primeiro enalteceu Maria e depois o seu Fruto, o Salvador? "Bendita sois vós entre as mulheres, e bendito é o fruto do vosso ventre." É bom destacar que Santa Isabel estava cheia do Espírito Santo, tendo falado, portanto, algo bem perfeito e que nos é muito importante. São Luís de Montfort explica: para chegar mais perfeitamente a Cristo é preciso antes ir à Maria, assim como um pobre coitado não vai direto ao Rei oferecer uma simples maçã, mas antes a entrega à Rainha (mais acessível), para que ela limpe a maçã e a coloque na melhor bandeja que há, a fim de assim a mação ser aceitável ao Rei.

Os pobres somos nós, pecadores. A maçã são nossas boas ações. O Rei é Cristo, Deus. A Rainha é Maria Santíssima. Se oferecermos nossas ações diretamente a Deus, elas terão pouquíssimo valor, uma vez que estão em vaso corrompido, nós. Mas se a oferecemos a Deus por intermédio de Maria, nossas boas ações serão muito mais agradáveis aos olhos de Deus, porque ela é vaso honorífico, sem qualquer mácula e purifica nossas ações. Assim ocorre também com nossas orações. Maria é perfeitamente agradável a Deus.

Devemos, dessa forma, sermos humildes e utilizarmo-nos dessa graça imensa que nos deu Nosso Senhor: uma advogada, junto ao seu Filho. E assim como Nosso Senhor foi submisso a ela aqui na terra, ele também o é no céu: a vontade dela é perfeitamente igual e idêntica à vontade de Deus. Façamos como Santa Isabel, cheia do Espírito Santo: caminhemos a Cristo, por Maria.